supercrônico

supercrônico
crônicas, contos e poesias

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Síndrome de Peter Pan

Arrastado rua a fora pelo braço, assim que entrou foi jogado numa espécie de cama estreita, baixinha e de couro, nada confortável, cujo um homem já de idade, careca, vestindo branco, sentará numa cadeira de frente com ele. Sua mãe foi a quem arrastou pelo braço pelas ruas aos olhos das fofoqueiras de portão que cochichavam entre elas, que após lança-lo na cama estreita, baixinha e de couro, puxou uma cadeira, sentando ao lado do seu filho que tentava se ajeitar no pouco espaço lateral da cama e ficando diante do homem careca de branco.
O homem disse: "pode falar, fique a vontade rapaz", mas, quando o moço foi perguntar o porque de estar alí a mãe a interrompeu logo dizendo:

"Ele não cresce doutor", e o doutor prosseguiu perguntando surpreso: "Como? Ele deve ter 1,90 quase", e a mulher com ar de preocupada disse: "Não doutor, você não entendeu, vou lhe contar: Ele só veste roupa de garoto, bermuda, boné, camisetas com estampa de heróis de desenhos animados, solta pipa, joga betcha, anda de skate voltando sujo de terra de tanto que deita nas calçadas e só ouve I don´t wanna grow up do Ramones. Seus amigos são bem mais novos do que ele, digo bem mais novos mesmo, adora andar descalço, não dorme sem beber leite gelado com achocolatado em pó, só come de colher, devora tabletes inteiros de iogurte de morango, não pensa em se casar, aventureiro, coleciona figurinhas de jogadores do campeonato brasileiro, aluga filmes dos atuais clássicos da Disney e vara a noite deitado num colchonete no chão da sala, vestindo seu pijama do Ben 10 e pantuflas de tigre enquanto assiste os filmes e até acha que voa Doutor."

O doutor coçou a careca, depois coçou o queixo, tirou os óculos que estava pendurado na gola da camisa branca, verificando as lentes num raio de luz solar que entrara pela janela limpando-as com a própria camisa, depois pendurou-o de volta na gola da camisa branca, coçando o queixo mais uma vez e disse: "Ele sofre de Síndrome de Peter Pan minha senhora"

Um comentário:

  1. Ahhh, eu conheço essa história hein... Bjosssssssss, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

    ResponderExcluir