supercrônico

supercrônico
crônicas, contos e poesias

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Vendedor - O inimigo público

Sabe quando você esta no banho quente, em pleno mês de junho, faz frio lá fora e você relaxa sentindo a água cair em gotas nas suas costas, mas um furo mal planejado em seu chuveiro lança uma gota fria que cai bem no seu ombro. Chato não é!? Tão chato quanto aqueles programas de domingo a tarde, que você acaba assistindo por não ter o que fazer em um domingo tão chato quanto aos  mesmos programas que passam na TV. E aquele amigo que chega na sua casa a qualquer hora, entra sem chamar ou apertar a campainha, te acorda puxando seu edredon da cama, abre a geladeira e depois quer ir aonde você vai.
 Esse pingo chato, esses programas de domingo e esse amigo importuno, são tão chatos quanto à aqueles vendedores que te ligam na hora do almoço pra te vender um curso de informática ou produtos veterinários. O curso é até interessante e o sal pra boi também, mas não estão em seus planos. O vendedor te convence a importância do curso mas te incomoda por uns 10 minutos enquanto você diz não.
O CIDADÃO COMUM TEME O VENDEDOR COMO SE TEMESSE UM INIMÍGO PÚBLICO. As palmas no portão soam como uma rajada de metralhadora R-15 e aquela mala de couro na mão deles mais parece um porta-munição.
Ah! Quem nos dera se todo mal do mundo fosse os vendedores, que se as comunidades ao invés de serem tomadas por traficantes ou mílicias, fosse invadidas por individuos que tentam ganhar a vida te empurrando mercadorias e que ao invés de ser assaltado a mão armada você fosse abordado por um vendedor que te diria frases decoradas de markenting tipo:
"Você quer comprar um livro de auto-ajuda escrito por um sábio  chinês e que de brinde você ganha outro livro de receitas escrito por Ofélia?".
E você um bom cidadão consumidor acoado diz não, mas que logo é abordado por outro que diz:
"Você deseja comprar um shake emagrecedor que no ato da compra leva também  uma caixa de barras de cereais e uma gelatina diet?"
Nisso você continua a dizer não mas da de cara com um senhor de chapéu de palha e um cesto também de palha na mão que te diz: "Olha o queijo fresquinho de minas" e você sem suportar diz NÃOOOOOOOOOOO!!!
Pior é quando você esta do outro lado e deixa de ser alvo pra ser um caçador assíduo de consumidores tentando convence-los com suas técnicas verbais de venda. É ruim se sentir temido, pois independente de ser legal ou chato os vendedores são trabalhadores honestos como qualquer um.
Cabe ao vendedor ser sútil e agradável e o consumidor atende-los com respeito e educação.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Precipício

oOOOOLÁÁÁÁ

E o individuo respondia:

OOOOLÁÁÁÁ

Começava-me criar antipatia diante daquele sujeito que repetia por inteiro toda frase que eu falava e além de repetir, ele repetia também a última silaba, da última palavra, no mesmo tom da minha voz, a frações de segundo após eu dar gritos e que não se identificava,  não sei se a voz era masculina ou feminina, só sei que não dizia quem era e muito menos  seu nome.
EI VOCÊ!
E a voz retornava a meus ouvidos
EI VOCÊ... CÊ... CÊ!
Revoltei-me e comecei a atirar pedras em sua direção, que se espatifava nas rochas do vale.
Aproximava-me cada vez mais e a cada passo esbugalhava os olhos a sua procura.  Minutos depois Retornei a atirar pedras, mas desta vez nas moitas que beiravam o paredão rochoso, desconfiado, achando que talvez pudesse estar escondido em uma delas, mas de nada resolvia, se estivesse escondido em alguma daquelas moitas que beiravam o paredão rochoso, com certeza eu lhe acertaria, bem na cabeça, pois a ira que me causara naquele momento era bem forte, a ponto de desmoronar os montes sobre as flores da planície verde, reluzida pela luz do sol daquele fim de tarde.
Conforme o tempo ia se passando, o sujeito ia me vencendo pelo cansaço, e começava a me sentir um idiota.
QUEM É VOCÊ? DIGA-ME POR FAVOR? O QUE QUER COMIGO?
E o individuo repetia com a voz já fraca, mas sem deixar de repetir o que eu dizia.
QUEM É VOCÊ... CÊ... CÊ? DIGA-ME POR FAVOR... VOR... VOR? O QUE QUER COMIGO... MIGO... MIGO?
Esse deve ser um cara debochado, daqueles que riem átoa, de tudo, de todos  e não tem nada pra fazer além disso, pensava. Pois daí eu resolvi esperar que me dissesse algo para que eu repetisse, para que sentisse o quanto era ruim passar por idiota e ser motivo de chacota por alguns instantes.
TIC-TAC, o tempo foi passando e eu sentado em uma pedra esperando e  nada desse indivíduo aparecer.
Já deve ter ido embora, presumia, pois deve ter se cansado assim como eu e não ficou para esperar chamá-lo novamente, no mínimo tivera percebido que eu queria me vingar da tal brincadeira sem graça, com a mesma brincadeira. Mas horas depois Decidi também ir embora, mas antes lhe chamei outra vez, somente para certificar-me se realmente ele tinha ido ou não embora antes de mim.
EI VOCÊ, POR ACASO AINDA ESTA PRESENTE?
E não é que o fulano correspondeu-me. Na verdade o mais esperto foi ele, que pacientemente me esperou pra me dar a cartada final daquela brincadeira toda.
EI VOCÊ... CÊ... CÊ, POR ACASO AINDA ESTA PRESENTE... ZENTE...  ZENTE?
Putz! A antipatia se transformou em simpatia e comecei achar tudo aquilo engraçado. Eu já nem era mais aquele irritado de horas antes a ponto de estrangular o desconhecido.
RÁ, RÁ, RÁ, RÁ, RÁ
Deitava-me e ria.
RÁ, RÁ, RÁ, RÁ, RÁ
E o sujeito também se matava em gargalhadas junto comigo.
Quase sem fôlego e com os olhos chorosos de tanto dar risadas, juntei minhas coisas para partir de volta para a casa e junto ao cansaço que me esgotava, veio o frio, a fome e o medo da altura. Abanei as mãos em direção ao desconhecido me despedindo, embora não sabia onde ele estava, quem era, daonde veio e qual era seu nome, baixinho e falando comigo mesmo lhe falei:
Prazer em conhecê-lo e obrigado pela companhia”
Ele não repetiu, creio que não ouviu, porém foi muito baixo, não se despediu de mim e lentamente desci do alto daquele precipício.

Vagner Zaffani-(texto-15)
12/05/2003


sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Um bom rapaz no Brás e seus super poderes

Um bom rapaz no Brás é aquele que fantasiosamente se transforma, adaptando-se a cada situação, como se fosse o Morpho que teve sua primeira aparição em 1992 no X-men. Um Morpho social deslumbrado e perdido numa cidade grande, horas e quilômetros distante, que logo se torna invísivel ao meio daquela multidão esvairecida, tumultuosa, disputando lugares nos corredores estreitos, entre uma piscina ou outra de tecidos costurados. Diante daquele empura-empurra danado, o bom rapaz se torna um atacante de football, abrindo brechas na ombrada e no jogo de cintura pra chegar onde deseja. Claro, sempre com educação pra não arrumar confusão.
O bom rapaz no Brás se assusta ao ouvir de trás alguém gritar: "Olha o pesado... Olha o pesado...", que nada mais era que um jovem que ganha vida empurrando carrinhos de compras à aqueles que consomem muito, também querendo brechas pra passar com seu carrinho de mão.
O grande e popular Brás, situado na região central de São Paulo, que nasceu numa região de chácaras, que cresceu e desenvolveu como bairro operário e pátria dos imigrantes italianos, depois acolhendo os imigrantes nordestinos, que hoje também me acolhe por alguns instantes, respirando diafragmamente pra manter a calma, diante do caos e sob o céu acizentado da capital paulista.
O bom rapaz no Brás se assusta novamente ao ouvir alguém gritar de trás: "Olha o quente... Olha o quente", que por sua vez era uma trabalhadora que, cuidadosamente também abria brechas nos corredores apertados com um copo de café cheio nas mãos.
O bom rapaz no Brás se torna um surfista dropando no mar de gente, nas cabeças dos trinta mil que alí circulam. A lua sumiu em um eclipse de terça feira, mas esses trinta mil não viram, apenas viram  camisas e camisetas, bermudas, calças, cuecas, meias, vestidos, calçados, bijouterias, lingeries, bonés, perfumes, brinquedos, bolsas, nas quatro mil e quinhentas barracas alí presentes.
Logo o bom rapaz, que até então era uma coruja, pra suportar a força do sono daquela madrugada quente e  esperto quanto a maldade daqueles que roubam as carterias e compras, se transforma em Reed Richards, o borrachudo do quarteto fantástico, se esticando todo entre as mãos que se tapeiam nas bancas das feiras. O bom rapaz no Brás é um verdadeiro super-herói, que enfrenta o desconhecido em busca de seus objetivos, encontrando coincidentemente outros super heróis, vindos de todo Brasil, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Interior Paulista, Será uma reunião da liga de Justiça?  Nossa! Quantos heróis como o bom rapaz perdido no Brás.
De Reed Richards para um leão feroz, devorando compras e compras e depois caminhando usufruindo da força de um urso para carregar sacolas e sacolas.
Da pra formar uma cidade se juntarmos todos os coreanos, chineses e outros estrangeiros que ali pertencem. Da pra formar um nação de tantos transeuntes que ali frequentam, nação que aumenta cada vez que nos aproximamos do Natal.
O bom rapaz volta a realidade e deixa de ser Morpho pra ser ele mesmo e, volta para casa ainda sentindo no ar o cheiro de roupa nova.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Vermes de ouvido

Ah! Quem nos dera se pudessemos guardar na cabeça com facilidade, os ensinamentos de um professor de matemática, para que possamos nos dias de prova apenas trazer o que esta la dentro pra caneta e o papel, sem ter que estudar. Ah! Quem nos dera se pudessemos de imediato decorar todos os igredientes de uma receita enorme de bolo, que a gente tanto gosta e que nossa vó insiste em nos ensinar, pra que possamos ser o herdeiro dessa degustação tradicional e familiar. Bom seria também se conseguissemos guardar as ruas e o caminho da casa de um amigo, cujo mora em outra cidade e você só foi uma vez a cinco anos atrás. Quem lhe dera também guardar na mente os números exatos da mega sena, que surgiu na sua mente enquanto dormia, dizem que os verdadeiros números da sorte são os números que sonhamos.
Um dia tentei descrever um filme que marcou minha infância a um amigo, durante uma conversa nostálgica, mas só lembrei do momento em que o mocinho venceu o vilão. Não que sejamos incapazes de armazenar na memória coisas do tipo, tem gente que te conta a estória toda de um livro de quinhentas páginas brincando, só que nós seres humanos infelizmente só reserva sem querer o que não presta, principlamente aquelas musicas horriveis que insiste nos perseguir como um rádio de uma canção só dentro de nossa caixa craniana.
Quem se lembra em 1996, hoje o atual deputado federal Tiririca cantando: "Florentina, Florentina, Florentina de Jesus, não sei se tu me amas... Pra que tu me seduz".
Era um saco aquela música, por mais que era engraçada, ela era um saco.. Você ia ao centro comercial de sua cidade e quando entrava numa loja de eletrodomésticos, se deparava com um enorme aparelho Cd player cheio de leds piscando e tocando: "Florentina, Florentina, Florentina de Jesus, não sei se tu me amas... Pra que tu me seduz". Aí, em casa cansado de tanto andar sob o sol quente de São José do Rio Preto, você ligava a TV e tinha ele lá cantando em todas emissoras: "Florentina, Florentina, Florentina de Jesus, não sei se tu me amas... Pra que tu me seduz". Involuntariamente na hora do banho enquanto você se ensaboava,  assobiava junto a melodia de: "Florentina, Florentina, Florentina de Jesus, não sei se tu me amas... Pra que tu me seduz".
Na mesma época uma dupla chamada João Paulo e Daniel lançou uma música no mercado fonográfico como se tivera lançado um míssel perseguidor pra nos acertar direto os ouvidos dia e noite: "Que estou apaixonado, e esse amor é tão grande,  que estou apaixonado e só penso em você a todo instante".
Anos depois, em meados de 2003 a cantora Luka estourava nas rádios com a música que dizia: "To nem aí, to nem aí, pode ficar com seu mundinho que to nem aí", Também se tornando o que nós chamamos de VERMES DE OUVIDO.
Os vermes de ouvido que nos atazana atualmente são musicas tais como: "No rebolation, no rebolation", ou: "O jeito é, dar uma fugidinha com você", ou também: "Te dei o sol te dei o mar, pra ganhar seu coração, você é raio de saudade meteoro da paixão..." . Mas quanto mais próximo do Natal chegamos o verme de ouvido mais comum é:  "So this is christmas, and what have you done..."
Mas esse sempre será bem-vindo,  além de ser uma bela canção de John Lennon, também nos climatiza para essa data  tão esperada data por muitos.

sábado, 18 de dezembro de 2010

O tamanho do medo


O Brasil é um país cujo tem as portas escancaradas pra receber visitais internacionais em todo seu território, seja ela de qualquer canto do mundo. E 2010, foi um ano repleto destas, nos deslumbrando com suas artes, sua musicas, sua esportividade e etc. Quem passou por aqui foram os Black eyed peas, The Smashing Pumpkings, Kings of Leon, Guns n´roses, Kevin Costner and Modern west, Metallica, The Cranberries, Could play, Franz Ferdinand, NOFX, Eagle-eye cherry, Beyönce e o eterno Beatle Paul McCartney. Além também do campeão olímpico André Agassi que veio fazer uma disputa comemorativa com o tenista Brasuca Gustavo Kuerten.
Mais de todas as ilustres visitas do ano que passou a que mais me chamou a atenção foi a de um chinês que não tem nada de artista e muito menos esportista, que em uma entrevista para a imprensa nacional ria encantado com as belezas do litoral brasileiro. Enquanto o gigante chinês chamado Xei Xung passeava nas ruas do Rio de Janeiro eu ouvia alguns que lhe mediam dos pés a cabeça dizendo: "Eu tenho medo dele". Medo do que e por que?
O medo é um sentimento que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente quanto psicologicamente.
Existe vários tipos de medo.  Medo de inseto, medo de escuro, medo de água, mas o medo que não compreendo é o medo de gente grande. Será que o individuo por ser muito alto ele será mal? Será desumano e dotados de intrigas? Creio que seja uma associação aos vilões dos filmes americanos antigos que ainda passam na sessão da tarde, cujo os vilões são maiores e oprimem os de altura inferior, usando smepre jaquetas de couro preta e visual rock n roll.
Há vários mitos que envolvem o cidadão alto, uma delas é a de que quem é grande não sente medo, não sente frio, nem sente fome e se sentir fome comerá o dobro que qualquer um come e, se um homem grande chorar ' pelo amor de Deus': " O que? Um homem desse tamanho chorando? Eu não acredito!". É o que dizem quando veem o alto a chorar.
E também não pode perder para um menor em nada, nem na briga,  nem no esporte e nem num simples jogo de baralho: " Eu não acredito, desse tamanhão todo e perdeu para aquele pequenino?", mesmo ambos tendo a mesma idade, surpreende os que veem o acontecido, como se quanto maior fosse mais habilidade teria, sendo que isso depende muito do raciocinio e não da altura.
Fora que a sociedade lhe restrita até para vestir. Se você é alto terá que vestir como pessoas mais velhas mesmo sendo ainda jovem: " Desse tamanho usando essas roupas? Como fica ridículo"
Mais do que comum é ouvir piadinhas tais como: " Já não passa mais na porta hein!?", "Pra beijar tem que abaixar não é?", "Tá frio aí em cima?", Se perguntar a um gordo se ele passa na roleta do ônibus coletivo  ou não, irão questiona-lo dizendo que você é desrespeitoso com este, mas se perguntarem ao alto se ele cabe na cama não é falta de respeito, digo na opinião destes que fazem essas piadinhas de mau gosto e, se o alto achar ruim da tal pergunta ele será tachado como ignorante. É complicado não é!?
Curioso é quando o chefe de alguma coisa olha para o menos e diz: "Você será o responsável pelo atendimento ao público e o maior será o segurança do evento". É como se o maior só soubesse fazer isso e não tivesse nada dentro dele além do "ar assustador"  do mesmo, sendo dotado apenas a dar segurança aos demais e incapaz de usar sua intelectualidade.
As mães dos amigos de infância nunca deixam seus filhos brincarem com o menino maior, elas temem que o garoto alto machuque seu filho com alguma brincadeira de criança, mesmo que esta brincadeira seja inocente, sem intenção de machucar, fora que acham que não combinam os dois andarem juntos com tal diferença de altura e diz: " Filho, esse menino é muito grande pra brincar com você, eu não quero ver você brincando com ele", ou seja, o medo pelo grande vem desde que ele ainda é uma criança e quando esse garoto cresce e entra na fase da puberdade, se depara com a dificuldade de namorar meninas, porém elas não aceitam a 'ficarem' com meninos muito alto, embora tem muita mulher que atualmente admiram e até participam de comunidades em redes sociais na internet voltadas para esse tipo de gosto.
São mitos que muitos desconhecem e só sendo um Xei Xung na vida pra sentir na pele, ainda mais morando no Brasil, país cujo a estatura mediana de um homem é de 1, 70 a 1,85 e da mulher é de 1,60 a 1,75.
O cidadão grande pode muito bem exercer tarefas que na qual ele use o seu próprio raciocínio, sua criação, sua comunicação e outras habilidades pessoais, fora que também muitos tem um super coração e isso depende muito do caráter e não da altura.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A esquecida

Certa vez Jonas todo empolgado levou sua nova namorada numa reunião de amigos repleto de cervejas, petiscos e muita falação de bobeira. "O nome dela é Nana", disse ele sorrindo e apresentado-a aos amigos.
Mas quando fui até a cozinha pra pegar uma lata de cerveja ele foi até a mim e me confidenciou defeitos cruciais de sua nova namorada. Ele me disse que além de trabalhadora, de carinhosa, educada e de boa família, ela se esquecia de tudo.
Ela se esquecia de vestir as meias, de ir ao médico, de comprar mistura quando ia ao mercado, de ir a faculdade em dias de prova, de levar o guarda chuva nos dias de chuva e quando levava esquecia-o na casa da mãe. Ela se esquecia de pagar as contas, de fechar a torneira, as calcinhas penduradas no box do banheiro, a porta aberta quando vai dormir, o ferro de passar roupa ligado, a panela no fogo e a vela pra sua santinha de devoção derretendo no criado mudo.
Um belo dia ela saiu de casa pra comprar cigarro e no caminho ligou pra Jonas e disse:

__ Benhê, me perdi.
__ Aonde você está?
__ Na rua Antonio Carlos.
__ Eu moro na rua de trás meu amor.

Isso porque ja fazia seis meses que ela ia quase todos dias a casa de Jonas. Era daqueles namoros modernos cujo o casal mas dorme na casa um do outro do que na sua própria casa. Nana brincava e dizia que Jonas era seu 'namorido' , meio namorado, meio marido, atualmente os namoros fluem muito rápido.
Tem uma outra estória que Jonas me contou enquanto eu ainda procurava uma lata gelada de cerveja naquela geladeira que mal fechava. Ele me disse que um dia uma amiga da capital ligou e disse:

__ Parabéns amiga, você sabe que dia que é hoje né?
__ Que dia?
___ Dia do... Dia do... Dia do..
__ Já sei...Ha, ha, ha, ha... Dia do médico.
__ Não, é o dia do seu aniversário, parabéns, felicidades, saúde e sucesso pra você.

Nem a data do próprio aniversário ela lembrava, mas o pior nem foi isso. Jonas me disse que um dia quando foi a casa dela e a encontrou sentada na beira da cama só de calcinha, de salto, cabisbaixa, me lançando um roupão vermelho e dizendo: "Jonas, acho que estou grávida", e ele perplexo com a possível gravídez inesperada perguntou: "Como você acha que esta grávida, você toma pílulas anticoncepcionais". E ela sorrindo sem graça disse: "Eu esqueci de tomar".
O rapaz só tirou as dúvidas quando um exame de farmácia acusou negativo, mas decidiu leva-la ao médico pra que ele trata-se desse 'esquece-esquece'. O médico receitou um remédio pra ela tomar diariamente que na qual faria com que ela se trata-se do problema do esquecimento.
Meses depois ele foi a casa de Nana e encontrou-a sentada na beira da cama só de calcinha de salto, como sempre fazia, com o roupão vermelho nas mãos e cabisbaixa me dizendo que achava que estava grávida, que esqueceu de tomar o anticoncpecional. que sua menstruação atrasou e assim por diante.
"Esqueceu de tomar o anticoncepcional? Mas você já não toma a pílula que o médico receitou pra que  você não esqueça dessas coisas importantes?", questionou Jonas a namorada. "Sim , mas esqueci de tomar também"
Indignado com a situação o moço chamou a atenção de sua parceira fazendo-a chorar. Ela chorava e o moço um tanto arrependido lhe deu um abraço e pediu:

__ Me perdoa e esqueça do que eu disse.
__ Perdoar eu perdoou, mas esquecer não consigo amor.

Nana era assim mesmo, se esquecia de tudo mas o que era pra esquecer ela não esquecia.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Thaisa ao lado da verdade

Thaisa é a filha carente de um casal  desajustado, desiquilibrada, frustada e imcompreendida principalmente pela mãe também desiquilibrada. Mas em meio tantas infelicidades pessoaisThaisa por sua sorte encontrou a verdade deixando sua mãe perplexa. Ninguém gostou do que viu, porém a verdade incomoda, a verdade berra, é expontânea e sempre surge nos momentos que na qual não esperamos. Toda vez que Thaisa se deprime ela procura a verdade, somente a verdade, pois só ela a consola nesses momentos mais tristes. Ao lado da verdade Thaisa buscará sua essência. A verdade por sua vez caminha ao lado de Thaisa depois que a sua dona a trouxe pra casa se tornando carne e unha. Os demais reclamam quando ouvem a verdade e pede pra que a mesma se distancie. Vocês sabem né? Quem não gosta da verdade se incomoda com ela. É comum usarmos a criatividade pra dar nomes a coisas, bichos de pelúcia, carros, objetos pessoais e principalmente animais. Nomes de artistas, nomes homenageando algum ente querido que se foi, nome composto, nome simples, nomes estranhos, nomes de personagens de filmes ficticios, de desenhos animados e outros.

Em animais os nomes mais comuns são Bob, Sheik, Totó, Susy, Lulu, Rex,  mas o porque do nome VERDADE a cabra eu não sei, só sei que o animal é o representativo de um somatório de problemas que a personagem de Fernada Souza carrega na novela das sete "Ti ti ti".
A guria tá no meio de um chumbo cruzado entre o pai e a mãe e vê na cabra um símbolo onde tenta dar vazão a toda a sua frustração sendo um prato cheio a psicologia e despertando uma identificação a muitos telespectadores que acompanham a trama e torce por um final feliz da personagem.
Muita gente foge de suas frustações e tristesas buscando atividades do dia-dia como ir fazer compras, frequentar salões de beleza, envaidecer-se, frequentar locais socialmente elevados, beber, pescar, correr de carro nas avenidas ou exibindo suas qualidades recebendo em troca elogios que massageia o próprio ego.
É muito interessante o quanto a novela brinca com o nome verdade da cabra a escultura intitulada a "expressão verdade".
Apoio totalmente a criação de animais domésticos desde que sejam tratados como devem ser tratados, com alimentação adequada, banhos, lugar pra dormir, mas há outras formas de aliviar a dor da alma sem se apoiar em outro ser, cabe a você ser forte e procurar dentro de sí mesmo.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Por onde anda Eliéser?

  
Mil novecentos e alguma coisa, faz tempo mas ainda me lembro da sala toda inquieta fazendo guerrinha de bolinhas de papel ou caminhando pela sala e rindo de um apelido qualquer a espera da professora entrar na sala, uma vez que soou o sinal para a troca de professores. Nisso não entrou a professora e sim um homem de cabelo grisalho vestindo uma camiseta lisa sem estampa e preta, calça jeans, um blazer cinza escuro e nos mandando sentar-nos e calarmos. Ainda me lembro que a maioria se perguntou:"Quem era?". Antes de pergunta-lo o homem disse: 'Serei o professor que substituirá a Cida de Matemática nessa semana".
O todo elegante professor que a príncipio assustou a sala toda, logo quebrou o gelo com seu descontraído jeito de dar aulas, caminhando entre os corredores de carteiras onde tinhamos que acompanha-lo girando o corpo pra assistir as aulas, falando alto, gesticulando. o nome dele era Eliéser, nunca esqueci.
De fora os demais alunos de outras salas que transitavam pelos corredores da escola ouvia-nos rir enquanto assistiamos a aula do tal professor.
Descobria alí um incentivo pra aprender a temida aula que até então era chata, devido a maneira moderna de dar aula do professor, aula tipo universitária, que hoje já tem se tornado comum em algumas escolas, mas não todas, que o amor por ele em ensinar nos ensinava a ter gosto pela mesma. A galera aprendeu em uma semana o que não tinham aprendido em um ano. O Pisa avalia estudantes de 15 anos completos em todos os países membros da OCDE e essa avaliação registrou a terceira maior evolução do Brasil nas médias de 65 nações e conseguiu superar a barreira dos 400 pontos em leitura e ciências, mas ficou abaixo desse patamar em matemática. O resultado, no entanto, ainda está longe de ser positivo. Nas três áreas, pelo menos a metade dos jovens brasileiros não consegue passar do nível mais básico de compreensão.
Tem quem diz que isso é o retrato da falta de interesse dos alunos nos estudos e do desinteresse dos professores em dar aula. Aluno sempre foi desinteressado e vai adquirindo esse interesse conforme vai amadurecendo e compreendendo a importância dos estudos e o professor tem uma grande importância em despertar o desejo por aprender. Mas que professor da rede pública tem interessece em dar aulas com o pouco salário que ganha? E sendo assim como despertará o gosto pelos estudos dos alunos? Por onde anda
Eliéser?





sábado, 4 de dezembro de 2010

Tome juizo menino!

!Meio com sono ele ergue a cabeça e põe os pés no chão meio doido de raiva com o despertador se decidindo acordar. Meio relaxado joga a colcha no chão de qualquer jeito e caminha-se meio arrastando os pés se queixando estar meio com fome. Meio fedido toma um banho e escova os dentes meio despreocupado com a hora. "Acelera moleque, já é meio dia", grita a mãe da cozinha, "Ah" Mãe, to meio cansado", responde ele do banheiro. "Cansado como? sendo que você acordou agora". Veste ele uma roupa meio amassada e pega um metrô meio lotado de ida pra escola. "Tome juízo menino", grita a mãe se despedindo, "aonde eu compro isso pra tomar mãe?".Mas como é estar meio cansado? Talvez é estar cansado de um lado só do corpo. Por exemplo: uma costureira meio cansada deitaria de lado, descansando o lado cansado no sofá encostado á maquina de costura e com o outro braço não cansado ela costuraria a roupa. E estar meio com fome? como é? Creio que uma pessoa que acorda meio com fome no café da manhã cortará meio pão, colocará meia fatia de mussarela, meia fatia de presunto, encherá o copo de leite até a metade do copo e mastigará o pão com mussarela e presunto só de um lado da boca, tomando o leite com o copo encostado no mesmo lado em que mastigou o sanduiche.Imagina se levassemos tudo ao pé da letra, como interpretariamos as frases ditas ou escritas num diálogo figurativo e metafórico?
"Hoje eu tenho uma missão de alto padrão". Ao pé da letra entenderiamos que este indíviduo iria participar de uma missa católica com horas e horas de duração regida por um padre muito alto.
"Abri o jornal e li uma notícia chocante". Será um jornal elétrico com o fio descascado? Plugado direto na tomada? Coitado, esse toda vez que abre o jornal toma um choque de alta voltagem. Um regime militar seria uma dieta imposta do coronel aos soldados na guerra, armarinho seria o ar proveniente do mar e ministério seria um aparelho de som bem pequeno.
Sendo assim, você que é uma pessoa feliz e de bem com a vida ao dirigir na rodovia e se deparar com uma placa escrita: “Cuidado, depressão na pista”, desvie mesmo sabendo que sua força é maior que qualquer zona depressiva.
Mas todos sabemos que são palavras com sentido ambíguo e que a frase muda se interpretarmos uma mesma palavra da mesma frase com o outro sentido, é só brincar com a nossa imaginação.
Catando milhos (eu que não sou galinha) estou ‘meio’ que finalizando esse texto, um bom dia a todos.

Obs: Juizo não se toma, se adquire.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Xingoterapia - É xingando que se é feliz

Eu xingo, tu xinga, ele xinga. Conjugação do verbo xingar na primeira pessoa do singular, no presente e no futuro de quem deseja ser feliz.Ser feliz? Calma aí que você já irá entender.
Tem gente que não xinga por educação e tem gente que mais xinga do que pronuncia palavras formais.
Nunca é bom xingar átoa as pessoas que lhe admira, que lhe respeita, pai, mãe, amigo, xingar no trânsito ou autoridades, porém pode lhe trazer conseqüências ruins e retornos negativos para o seu meio social. Tem gente que perde o emprego porque xinga, tem gente que já foi preso por também xingar, mas tem horas que xingar é essencial, isso nós chamamos de "Xingoterapia".
Quem nunca quando transitou dentro de sua própria casa e distraidamente topou com o dedão do pé  justo na época do frio, quando a pele fica mais sensível e a dor fica mais intensa bem na quina do sofá, da mesa, na escada, no vaso ou no skate deixado relaxado no meio da sala e de repente:
__ Cassete!
Perceba o quanto lhe aliviará imediatamente a dor da pancada caso você xingue.
O xingo é fundamental quando é emitida contra aqueles que não são nada seu e mesmo assim insiste em querer tomar conta do seu jeito de ser, dos seus sonhos, da sua maneira de pensar, de agir, etc.

__ Você usa o relógio colorido e no pulso direito.
__ Foda-se!
__ Mas você come de colher.
__ Foda-se!
__ Você um homem feito se veste como menino.
__ Foda-se!
__ O que pretende ser da vida?
__ Não é da sua conta!
__ O que pretende ser da vida?
__ Ou palhaço, ou ator, ou escritor, ou músico, ou jogador de futebol...foda-se!
__ Porque você não estuda pra ser médico, engenheiro,advogado?
__ Vai toma no cu!

Quanto maior for a amizade maior será o tapa nas costas e os xingos. Amigos que não se xingam é porque mal se conhecem ou se conhecem sem ainda ter tal intimidade:
“Seu filho da puta, você sumiu, não me liga mais...hahahahahaha!”
“Vai toma no cu, toda vez que eu te ligo você nunca atende essa merda...hahahahahaha!”

Mas ser alvo de hostis palavrões que lhe inferioriza,que lhe magoa, que lhe debocha é ruim também, é uma questão de se por no lugar do outro e nisso amadurecer seu lado respeituoso. Pergunte a um árbitro de futebol o que é ser xingado, principalmente depois de apitar um gol mal anulado em pleno clássico futebolístico, mesmo crendo que eles tenham um trabalho todo psicológico a isso fora o costume somado a experiência.
Xingar nada mais é do que uma liberdade de expressão em busca da sua liberdade de identidade, mas também é uma das formas mais claras de expressar tais sentimentos, por exemplo: "Que bosta, perdi denovo". Perceba o quanto o xingo expressou a decepção do individuo ao perder alguma coisa. Outro exemplo:
"caralho, ganhei...ganhei...ganhei...!" Nessa frase o xingo já expressa o ar de felicidade de um indivíduo que ganhou alguma coisa.
Esse texto vai em homenagem a falecida Rainha dos palavrões Dercy Gonçalves e o embaixador do xingo Brasileiro, João Gordo.
Relendo o texto todo noto o tanto de palavrões citados, me perdoe a minha falta de classe, mas:

"Puta que o pariu, que legal ficou isso!"




sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Tropa de Elite 3 - pra quem não viu o filme

O Brasil sempre foi bom produtor de filmes desde a antiga Atlântida  e Vera Cruz e sempre teve como ponto alto os longas que traz a realidade social fazendo com que o telespectador se identifique, além dos dramas, das comédias romanticas e documentários.
Um desses filmes foi o "Tropa de elite 2" que estreiou no dia 8 de outubro de 2010 e logo em sua quinta semana em cartaz conseguiu levar mais que o dobro do público da estreia de “Jogos Mortais – O Final”, que abriu em 2º lugar.
O filme "Tropa de elite 2" , de José Padilha chega à marca de 10 milhões de espectadores e já é o recordista do ano nos cinemas brasileiros tendo mais bilheteria que "Nosso lar" e "Chico Xavier" juntos e ultrapassando os números  do filme "Avatar" de James Cameron que foi visto por 9.108.400 milhões de espectadores no Brasil todo. Em breve, o longa de José Padilha pode virar o mais visto da história do cinema brasileiro, batendo o recorde de  "Dona Flor e seus dois maridos", que atraiu público de 10,7 em 1974, enchendo de orgulho os brasileiros e admiradores do cinema Nacional.
Mas coincidindo com o filme que já é sucesso em cartaz em todos os cinemas do país, o BOPE(Batalhão de Operações Especiais) que é o foco principal em atividade no longa, esta unído a Polícia Militar do Rio de Janeiro, Fuzileiros Navais da  Marinha e a polícia Federal numa operação anti terrorista aos traficantes do  Vila Cruzeiro, a mais perigosa dos complexos de favela carioca. Os ataques dos traficantes se deu ínicio no ultimo domingo dia 21 de Novembro em resposta a instalações das UPP(Unidade de Polícia Pacificadora) nas favelas tendo a ordem de líderes do tráfico dentro das penitenciárias.
A linha vermelha se assimila hoje a faixa de gaza e o Rio de Janeiro que já foi capital federal do Brasil me traz a  tona imagens das tropas americanas quando invadiram o Iraque e o Afeganistão vendo os 15 blindados fuzilerios da marinha, com mais de 20 toneladas cada um que participaram na missão de paz do Haití  e  que estão atualmente em apoio a operação anti terrorista nas favelas.
Pra quem não viu nenhum  dos filmes "Tropa de Elite 2" e pretende ver mas não viu ainda por falta de tempo,  desta vez duelando diretamente com as facções criminosas unidas contra a força policial, basta ligar a Tv mais ou menos a 12:30 em qualquer emissora da Tv aberta que verá o filme na realidade, ou se quiser assistir ao vivo cabe a ele ir até o Rio, mesmo sabendo que é um filme real de guerra cívil que ninguém quer ver mesmo crendo na vitória das forças em operação.
Agora cabe a nós saber como será a copa das confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014 e as olímpiadas de 2016. O Brasil  e os turistas estarão seguros da violência dos bandidos que cresce cada vez mais.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Qualquer um pode ser anjo

Talento pode significar uma vocação ou um dom para alguma atividade ; assim, afirma-se que tal pessoa tem talento para a música, ou pro cinema, ou talento culinário, ou talento para lidar com crianças, ou pra lidar com idosos, talento pra falar em público, talento pra interpretar, pra pintar, desenhar, vender, construir, pra dropar em ondas imensas no Hawaí ou descobrir paisagens naturais jamais vistas do nosso país.
Talvez o meu Dom seja esse de fazer você ler as crônicas que escrevo mas tem gente que tem o curioso Dom de ser anjo.
Anjo nada mais é do que uma criatura celestial acreditada como sendo superior aos homens, que serve como ajudante ou mensageiro de Deus, segundo a tradição judaico-cristã; mas naquela tarde de quarta-feira o mensageiro enviado por não sei quem foi uma velhinha que sentara ao banco de um ponto de ônibus próximo a um grande hospital público numa movimentada avenida do centro da cidade, que após me ver atravessar a rua diante de carros velozes que quase me atropelara me disse: "Perca um minuto da sua vida mas não perca a vida em um minuto".
Mal agradeci a velha e continuei o meu trajeto remoendo no meu cérebro a aquela frase.
Na iconografia comum, os anjos geralmente têm asas de pássaro e uma auréla. São donos de uma beleza delicada e de um forte brilho e por vezes são representados como uma criança por terem inocência e virtude. Mas aquela era uma anja velha, feia, cheia de rugas, com os cabelos grizalhos, um vestido florido até o tornozelo, com uma faixa de gase enrolada no mesmo pra disfarçar as feridas, encurvada se apoiando em uma bengala, sem asas, sem brilho e longe de ser uma criança mas que foi o meu anjo do dia.
Nisso passei a notar esse Dom de ser anjo em várias pessoas; quanto mais velho mais talentoso é o anjo.
Até os monstros sociais que se alimentam da ganância, de bens materiais, da inveja e outros também tem o seu momento angelical.
Toda mãe se torna uma anja natural á partir do momento em que pari seu primeiro filho, é automático, guardíã da vida cujo terá que acompanha-lo até ganhar asas e voar sozinho. Logo nos primeiros passos a mamãe diz: "primeiro aprenda a caminhar pra depois correr" e quando cresce e entra naquela fase que na qual deixa a adolescencia pra virar adulto, a mesma mãe guardiã ja adaptada aos fatos atuais aconselha-o como sempre tem aconselhado:"Use sempre camisinha, não use drogas, olhe bem com quem tu andas". É como se encostassemos o ouvido no peito dela e escutasse essas frases todas vindo la de dentro.
Certa vez, diante de uma moça que chorava a soma de tragédias passadas de sua vidas, fora a dor da solidão e algumas doenças que lhe aflige, me aproximei e disse: "vire a página e escreva você mesmo o final feliz do seu livro vital". Poxa, saiu sem querer, quando vi já tinha falado, não sei se ela entendeu, não sei se soou bonito, só sei que saiu como um disparo acidental do coração e era o máximo que eu podia fazer até então, embora eu não sou médico, nem psicólogo, nem nada.
Ela me sorriu e disse retribuindo  com um beijo no meu rosto:"você é um anjo". A príncipio encarei como um elogio, uma vez que ela era bonita e doce, mas depois pensei:" no caso, hoje o anjo sou eu", ria comigo mesmo e os pensamentos prosseguiram: "Qualque um pode ser anjo". Tanto pobre quanto rico, gordo, feio, velho, jovem, vistoso, mal trapilho ou bem vestido, embriagado ou sóbrio, perambulando pelas ruas ou no sofá deitado assistindo Tv, na feira, na escola, no trabalho, na fila do banco, na praça, ou seja, todo mundo é anjo de alguém, é um dom natural até dos demônios.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O perfil da mulher machista

Machismo ou chauvinismo masculino é a crença de que os homens são superiores às mulheres e essa crença existe desde o início dos nossos tempos. No tempo das cavernas, aqueles tempos difíceis em que as feras dominavam, foi estabelecido um pequeno sistema de convivência em grupo. Os homens, dotados de maior força, foi incumbido a missão de sair para caçar e de defender o território, enquanto as mulheres, sendo capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo, ficaram responsáveis por cuidar dos bebês e de administrar a caverna. Nascia aí a primeira manifestação machista reconhecida por estudos socíólogos e filosóficos humanos.
Eu particularmente repugno qualquer ato machista, porém creio fielmente que não há divisão de tarefas entre homem e mulher. Não há trabalhos específicos voltado pra cada sexo. Se o homem come, bebe, veste, se acomoda em seu lar, consome, ele pode muito bem cozinhar, lavar a louça, a roupa, passar, limpar a casa, assim como são as mulheres que tanto se locomove para lugares longes, que quebra, que suja, que também consome, também podem muito bem dirigir, varrer, furar uma parede, martelar, consertar e etc. O homem e a mulher tem que fazer o que sua necessidade pedir, sem esperar que outra pessoa do sexo oposto venha fazer por ele(a).
Mas, centenas e centenas de anos depois a mulher veio ganhando sua igualdade sexual depois de muitos manifestos feministas tendo inicio na década de 60, marcado pela queima de sutian (símbolo de opressão masculina daquela década) por operárias em praça pública.
A mulher é um ser admirável, acorda normalmente mais cedo do que o homem, toma seu banho matinal, se prepara pra enfrentar o trabalho, faz café, veste o filho, deixa o almoço pronto pra família toda, pega o ônibus lotado as 7:30 da manhã, depois passa suas oito horas diárias trabalhando, depois volta pra casa e quando acha que acabou ela terá que enfrentar sua segunda jornada do dia, mas encara mesmo cansada com a tranquilidade que adquiriu a anos desde o início da sua maturidade. Pois no final de semana quando achava que iria descansar ela decide faxinar a casa, prepara os baldes, o sabão, a escova, tira os móveis pra fora, liga a mangueira deixando a água enxarcar a sala e liga o rádio pra se distrair. Faxinando e dançando ela ouve:
"Que pescar que nada vou beijar na boca
Ver a mulherada na madrugada ficando louca
Que pescar que nada vou matar a fome
Lá ninguém se mete lá vai ter sete pra cada homem..."
Ela ligou o rádio e foi por água abaixo toda admiração dita por mim em relação a ela. Aí não dá, a mulher que tem jornada dupla, que conquistou seu direito de votar, dirigir, de ocupar cargos que antes eram estipulados ao homem, que se manifestou, que brigou e hoje tem sua indepndência financeira e amorosa a se permitir a ouvir canções de punho machista... Aí não dá.Pior do que homem machista é a mulher machista. Aquela que foi criada pra ser Amélia, que acha que lugar de mulher é na cozinha e que ostenta isso ainda educando as filhas pra também pensarem assim, como se fosse uma bola de neve machista em pleno século XXI.A mulher machista é uma esposa que não culpará o marido na infidelidade. Tolerante com ele, intransigente com a outra envolvida dirá que a outra é a culpada e de que estará roubando seu homem. Assim disse Lu Von Borries em seu blog com toda razão. Fora aquelas que apanham do marido por motivos torpes e quando perguntam a ela, o porque que ela não presta uma queixa policial contra ele, a mesma diz: "Ele é assim mesmo"
Sacanagem hein

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Ser Humanofobia

Medo é um sentimento universal e muito antigo, não há no mundo nenhum indivíduo que não sinta ou nunca sentiu medo na vida. O medo pode ser definido como uma sensação de que você corre perigo, de que algo de muito ruim está para acontecer, em geral acompanhado de sintomas físicos que incomodam bastante. Existem três tipos básicos de fobias, que são: Agorafobia  que é o medo generalizado de lugares ou situações aonde possa ser difícil ou embaraçoso escapar ou então aonde o auxílio pode não estar disponível. Isso inclui estar fora de casa desacompanhado, no meio de multidões ou preso numa fila, ou ainda viajar desacompanhado. Fobia social, quando a pessoa tem um medo acentuado e persistente de "passar vergonha" na frente de outros, muitas vezes por temor de que as outras pessoas percebam seus sinais de ansiedade. Fobias específicas, quando o medo acentuado e persistente é na presença  de coisas como voar, tomar injeção, ver sangue, altura. Ou ainda o medo específico de elevador, dirigir ou permanecer em locais fechados como túneis ou congestionamentos. Fora outros tipos bizarros de fobia: Antropofobia, papafobia, telefonofobia e etc.
Mas há um novo tipo de fobia que vem crescendo no meio social que atinge desde as crianças aos mais idosos. Essa nova fobia é um tipo de medo que venho descobrindo conforme venho conhecendo pessoas, todas distintas uma da outra e com histórias de vida pra contar e que na qual denominei de ser humanofobia.
Essa fobia não é um medo de lugar, ou de alguma situação embaraçosa, ou de altura, ou de animais e sim consiste diretamente no medo do homem pelo próprio homem.
 Os sintomas são o distanciamento do invidiuo da sociedade se isolando dos demais tanto nos estudos, no trabalho e na rua transitam sem dialogar com os que por ventura viria a conhece-lo.
A pessoa que acomete esse tipo de fobia são aquelas que ja se viram enganadas por outras tanto amigavelmente falando, quanto por patrões que iludem funcionários dedicados a um cargo maior ou salários mais favoráveis, ou por romances interrompidos por mentiras, infidelidades e falsas promessas e etc.
Então é natural vermos jovens que preferem sair acompanhados por mãe ou irmãos na balada ao invés de amigos do trabalho ou faculdade por não confiar em ninguém mais e senhoras indo aos cultos e missas acompanhados dos filhos ao invés de ir com a vizinha da frente ao portão.
Sabendo que ninguém vive socialmente sozinho e que o ser humano depende muito um do outro, as pessoas adeptas a esse medo passam a se relacionar apenas com aquelas que realmente confia distanciando-as dos amigos e fortalecendo cada vez mais os laços familiares.Do jeito que o convivio humano caminha o índice dessa nova pandemia social tange a crescer cada vez mais.
Será uma futura geração de quarentões solteiros, de senhoras frustadas pro não terem os netos que tanto deseja e de casais formado por primos?
Mas já pensou se isso chega a calamidade pública. Pois daí teremos times de futebol com apenas um jogador em campos reduzidos e adaptados. "Nesse domingo as 16:00 um grande clássico do futebol, Ronaldo versus Neymar, não percam". Diria o narrador divulgando a final do campeonato. Vários artistas deixariam suas bandas pra seguir carreira solo e as cantigas de rodas, as novenas, as quermesses, o jogo de baralho na praça, o bilhar, os churrascos e outras coisas simples do cotidiano popular perderiam o sentido e se extindiriam aos poucos.
Mas quase um mês pós-eleição a sociedade brasileira corre um risco de ter esse índice fóbico crescer em massa. Digo por que muitos deputados, senadores, governadores e a própria Presidente eleita, percorreram ruas do território nacional distribuindo promessas de melhoras de vida pra todo mundo, tanto na saúde, como na justiça, na educação, no trasnporte, no emprego, na previdência social e outros.
Imagina se 50% dos cidadões iludidos levarem a sério o que eles disseram. Teremos uma explosão de seres afujentados e até atacando pra não ser atacado, fora que as universidades abririam salas e salas parar formarem e lançarem novos terapeutas no mercado de trabalho.

domingo, 21 de novembro de 2010

E o rock do meio?

Rock n roll surgiu nos Estados Unidos nos anos 50. Inovador e diferente de tudo que já tinha ocorrido na música, o rock unia um ritmo rápido com pitadas de música negra do sul dos EUA e o country. Uma das características mais importantes do rock era o acompanhamento de guitarra elétrica, bateria e baixo. O rock apareceu pela primeira vez num programa de rádio no estado de Ohio (EUA), no ano de 1951. O que muitos adeptos do rock não sabem é que esse estilo inovador da década de 50 foi ter sua primeira gravação no Brasil em 1955 por uma cantora de samba-canção chamada Nora Ney, mas a príncipio a maioria dos cantores do gênero escrevia letras em inglês ou faziam versões de musicas que já eram sucesso nos EUA. Mas enfim, em 1957 o Brasil teve seu primeiro rock original em português, denominado de "Rock and roll em Copacabana", escrito por Miguel Gustavo no Rio de Janeiro. Foi o pontapé inicial pro rock Brasuca influenciando vários artistas até de outros gêneros a tocar a musica do momento. O maior "boom" do rock n roll no Brasil foi na década de 80 com o surgimento de bandas tais como Titãs, Paralamas do Sucesso, Ultraje a rigor, Ira, Blitz, Barão Vermelho, Metrô, Magazine, Plebe Rude, Legião Urbana, Camisa de Vênus, Hanoi Hanoi, Heróis da resistência, RPM, Engenheiros do Hawaí, Kid Abelha e os abóboras selvagens, Capital Inicial, Nenhum de nós, Lobão e os Ronaldos e outros.
Mas infelizmente esse estilo de musica tão mágico e envolvente veio perdendo á partir dos anos 90 sua popularidade pra estilos tais como axé, pagode, sertanejo, forró, miami bass(funk carioca). Isso porque as mídias nacionais poucam veiculam musicas do gênero e também devido a falta de informação cultural popular do Brasil. Perdeu popularidade mas nunca a sua a força, porém é o estilo que mais disponibiliza artistas no meio musical. O que acontece é que o roqueiro não se contenta em apenas ouvir rock e passam a também a querer fazer rock.
é curioso o tanto de meninos e meninas que transitam pelas ruas com um bag de violão, guitarra ou baixo pendurado nas costas a caminho da aula fora o barulho dos ensaios que saem das garagens quando cruzamos os bairros da cidade.
Portanto é natural uma banda em São José do Rio Preto-SP ver de cima do palco um público repleto de músicos, ou seja, os festivais de rock na cidade viraram festivais de banda assistindo banda. Tem aqueles músicos que vão pra ver se a banda toca tal música tão bem quanto eles tocam mas também tem aqueles que vão pra apoiar e dar força ao movimento cultural na cidade.
Essas bandas costumam compor suas próprias letras e melodias, mas poucos a tocam por ainda não serem conhecidas e se veem obrigado a tocar versões de músicas que fazem sucesso no Brasil e no mundo para atrair público em seus shows.
Noto que mais ou menos 50% das bandas resgatam sucessos dos anos 60 e 70, bandas tipo Led Zeppelin, Deep Purple, Kiss, Van Halen e as outras 50% investem em bandas atuais tipo McFly, Nx Zero, Fake Number, Restart e etc.
O rock n roll no Brasil é 8 ou 80, ou é antigo ou é atual, mas lhe pergunto e o rock do meio? digo as bandas que surgiram no final dos anos 80 e se consagraram até o começo da década 2.000. Claro que apoio totalmente as bandas que compõe, independente se são boas ou ruins, mas já que fazem versões, porque deixam de tocar sucessos de bandas como Nirvana, The offspring, Green Day, Smashing Pumpkings, Alice in Chains, pennywise, Milencolin, Bad Religion?
O rock tem suas extremidades que vão do inicio ao fim(atual) e mais uma vez pergunto. E o rock do meio? Por que pulam essa fase do rock.
Embora hoje o rock não é o mais popular dos gêneros da musica no Brasil é o que mais reinvindica com classe e inteligência os direitos socias e humanos de quem também ouve pagode, sertanejo, axé, forró e miami bass(funk carioca). E também apoio totalmente as bandas que se negam a fazer versões de sucessos de bandas nacionais e internacionais que nos tornam escravos artísticos e se propõe a apenas tocar composições de próprio punho.


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

O prazer sádico da infancia

Na lei do reino animal prevalece  sempre o mais forte, o mais hábil, o mais rápido, o mais sábio perante a caça, ou seja, o maior come o menor. Na lei do reino da infancia é quase a mesma coisa, o que muda é que o opressor oprime o mais fraco. Não entendeu? Então vou lhe dar um exemplo.
Feito abelhas alvoraçadas voando em bando em volta do próprio cacho apedrajado, são as crianças quando saem da sala após ouvir o soar do sinal para o intervalo do lanche. Correm como se  fossem libertas de horas e horas de raciocinios lógicos e matemáticos, gramáticos, geográficos, históricos, como se o tempo de usufruir antes de retornar a sala fosse curtissimo, pois daí teriam que aproveitar o máximo desse próprio tempo.
Tem criança que esquece de comer e deixa o sanduiche de presunto azedar na lancheira, por querer jogar futebol de tampinha de refrigerante no pátio, lançar aviões de papel, brincar de pega-pega ao invés de comer o lanche e tem outras que além de comer seu próprio lanche obriga o outro a dar um  pedaço do seu lanche também:
__ Me dê um pedaço da sua esfirra de frango agora e um gole do seu guaraná__ Impõe a criança opressora a outra.
__ Não darei de forma alguma, foi minha mãe que fez e só tenho esse pra me sustentar até o fim da aula__ Responde a outra criança oprimida e acoada diante da outra opressora.
__ Me dê se não lhe arrebento esses dentes que ainda estão por nascer__ Reforça o menor opressor
__ Sim...Sim
Nisso a criança opressora da as costas a outra criança oprimida, que por sua vez chora ao ver o opressor  mastigando o lanche roubado sorrindo sadicamente aos demais amigos, que o acompanham pra também se assaciarem do ato maldoso.
O prazer de querer dominar o próximo é grande e se estende por todo intervalo de lanche da escola.
No caso, essa criança se torna um garoto cada vez mais popular e o outro foi tachado de 'bundão' diante da turma, pena que é uma popularidade negativa. Outro exemplo, uma roda de garotos  se forma em volta de outro e pegam o boné deste jogando um para o outro colocando-o na roda:
__ Devolva-me!
__ Ha, ha, ha, ha, ha, ha, ha! ___ Ri a turma de amigos lançando o boné um para o outro
__ Devolva-me__ insiste o outro menino tentando pegar seu próprio boné
__ Ha, ha, ha, ha, ha, ha, ha
__ Buá, buá, buá, devolva-me__ insiste o menino com os olhos rasos d´agua.
Portanto, depois de ouviir a voz chorosa do garoto a turma de amigos devolve o boné, claro,se deliciando da atitude sádica.
Imagina se essa ganância por popularidade e poder fosse usada de forma positiva. Um outro exemplo, O professor de matemática na sala diria escrevendo a equação na lousa:
__ Duvido que alguém consiga resolver essa equação.
__ Farei a mesma em menos de 5 minutos.
__ Duvido__ Intima o professor mais uma vez.
No tempo previsto por ele mesmo, o popular exibiria a página do caderno com a equação já resolvida, em seguida sádicamente sorriria para os amigos admirados da mesma sala.
Como será a nova geração de adultos que esta por vir?

terça-feira, 16 de novembro de 2010

A eternidade dentro de um busão

Eternidade é um conceito filosófico que se refere no sentido comum ao tempo infinito, algo que não pode ser medido pelo tempo, a eternidade é uma duração sem alterações ou sucessões.
Cada um tem uma forma de definir o que é eterno ou não.
O décimo primeiro livro das Confissões de Santo Agostinho revela  um documento a respeito da eternidade na visão cristã . Para quem não sabe, Santo Agostinho é um dos maiores teólogos já existentes, rivalizando com São Tomás de Aquino em importância para o catolicismo.
Mumm-ra, inimigo antigo dos Thundercats se dizia ser um ser eterno quando se transformava dizendo: “Antigos espíritos do mau transformem essa forma decadente em Mumm-ra, o ser eterno ...Os gols de pelé, as canções de Beatles e Elvis Presley, As vitórias de Airton Senna. Da pra contar nos dedos o que se diz eterno nos dias de hoje, mas nada é mais eterno do que as horas dentro de um onibus de viagem, tanto indo ou voltando pra casa.
Cada minuto é uma hora, fora o balançar, o rangir das poltronas, quilômetros de mato beirando o asfalto que você ve pelo vidro, animais feito massa de pizza no meio da pista e um banheiro pequeno e mal cheiroso.
Ai depois, com muito esforço, depois de ouvir todos os mp3 de seu celular, os roncos do motor do onibus misturado aos roncos dos demais passageiros que dormem pra fugir do tédio do tempo de espera até chegar ao seu lugar de destino, você cochila na poltrona inclinada cutucando o vizinho da frente com suas pézadas insanas sendo também cutucado pelo vizinho de trás também com pézadas e sendo acordado horas depois com um motorista que grita lá da frente após estacionar o mesmo: "Parada, Itumbiara,20 minutos pra beber água e ir ao banheiro". Poxa, a gente acha nesse momento que chegou em casa mas quando ve ainda falta quilometros e quilometros vendo mato beirando asfalto.
Cheguei a pensar numa versão nova do Mano Brown de um dos seus sucessos cantando:"Tic-tac ainda é 9:40 o relógio no ônibus anda em câmera lenta"
Tem gente que habita mais dentro de um ônibus do que na sua própria casa e diz adorar essa vida e tem aqueles que gosta de viajar mas deseja a todo momento ter o poder do teletransporte pra ir e vir aos lugares que deseja.
Já pensou se houvesse punições judiciais voltadas à aqueles que revelam não gostar de fazer viagens longas dentro de um ônibus.
"Você roubou,assaltou,mentiu, então viajará do Iapoc ao Chúi direto, ida votla sem parar", diria o juiz setenciando o réu batendo com seu martelo de madeira. "Você estuprou, seduziu crianças, bateu em mulheres, em idosos, matou animais e desviou dinheiro dos cofres  públicos, então esta condenado a viajar a vida toda vida ate chegar ao inferno seu covarde", o juíz com certeza não perdoará ninguém.
O reality show usaria  a situação como prova do programa, pois daí Pedro Bial diria:"A prova do líder de hoje será de resistência, serão 8 horas de viagem de onibus e quem resistir sem reclamar será o novo líder"
Agora para aqueles que gostam iria ter o "Busão Terapeutico", prarelxar do stress do dia-dia.
O passageiro teria a liberdade de escolher a poltrona e o lugar quiser.
Teria aqueles que iria sorrir com as mãos atras da nuca, deitado numa poltrona inclinada, só de meias recordando os bons momentos da vida e também teria aqueles que choraria com o rosto colado ao vidro olhando pro nada, pra pista. O passageiro e cliente poderia reclamar caso  visse alguma regularidade no "busão terapeutico": "Po motorista, enxarquei a testa com as lágrimas de alguém".
Mas toda e qualquer viagem independente da distância e do tempo gasto nele vale a pena quando retornamos ao nosso lar, depois de anos morando em outro por causa de tais condições particulares, ou por rever a familia que mora longe, os amigos ou um grande amor que a distância não separa.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Liberdade de expressão

As pessoas sempre manifestam contra as reivindicações não retribuídas pelos patrões, ou de leis que nunca nos favorecem e só favorece aqueles que fazem as próprias leis, de salários que nunca sobem e quando sobe faz subir também a cesta básica, o remédio, a carne, o material escolar e etc. Manisfestam também quanto aos cáríssimos impostos do carro, da casa, da luz, da água, pra tudo, pra pisar na rua, pra piscar, pra tossir e não mudando em nada na saúde pública, na segurança pública, no saneamento básico, na previdência e a educação com índices de evasão escolar cada vez maior.
Além dos manifestos socias as pessoas também manifestam contra a falta de respeito um com o outro, no ciclo de amigos, de relação amorosa, nas comunidades e etc.
Todo tipo de manifesto tanto verbal, visual ou escrito, nós chamamos de liberdade de expressão.
A liberdade de expressão é o direito de manifestar livremente opiniões, ideias e pensamentos. É um conceito basilar nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral.
Essa liberdade oprimida pela ditadura na década de 70 e 80, veio ganhando espaço nas letras de músicas, poesias, livros, cinema e internet.
Intenet? Sim, é cada vez mais comum vermos frases no messenger aonde seria o nome ou apelido dizendo coisas tipo:

"A maior covardia de um homem é despertar o sentimento de uma mulher sem a intenção de ama-la"

"Quem ná da assistência, abre concorrência e sofre as consequências"

"O ideal seria que as pessoas soubessem amar o tanto que sabem fingir".

"Quanto mais conheço as pessoas mas eu gosto dos meus cachorros"

"Parei de tratar com prioridade quem me trata como opção"

E a mais clássica de todas é:

"Solteiro(a) sim sozinho(a) nunca"

Frases que deixam bem claro a perplexidade das pessoas uma com as outras e manifestadas virtualmente.
A liberdade de expressão é um direito fundamental, mas vamos todos nos usufruir dessa tal liberdade sem incitar a violência, o ódio racial e étnico e sem caluniar ou difamar a reputação alheia; o que queremos é o nosso direito de ir e vir com igualdade e respeito.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Temporada de caça aos monstros

Quem não se lembra dos monstros borrachudos que infernizavam a vida dos heróis japoneses nos finais de tarde na extinta TV Manchete, que falava sem mexer a boca, lentamente destruia as cidades de isopor em miniatura e depois morria com um disparo supersônico da arma de um robô gigante.
Ainda tinha os montros que no final de cada episódio do Scooby Doo, ele, Salsicha e sua turma descobriam que o monstro não era monstro.
Um monstro misterioso era aquele que o Vingador da Caverna dos Dragões temia quando surgia de dentro da caverna com suas sete cabeças tenebrosas.
Shrek é um monstro?não sei, talvez seja um que só põe medo a príncipio pela aparência, mas com o coração mais puro que de qualquer herói famoso.
Tem famílias só de monstros, assim como era a família Adams na década de 90 e a Família Monstro na década de 60.
Todo monstro tem um habitat natural, alguns moram nos cinemas, nos teatros, nos livros, na TV, no trabalho,na escola, dentro dos lares, dentro de um coletivo lotado as 7:30 da manhã,na igreja e na imaginação de cada um.
Bicho Papão, Homem do saco, A loira do banheiro, chupa-cabras, E.T de Varginha, monstros que muitos juram de pé juntos que existem, que já viram no sítio, na rua do cemitério a noite, no banheiro da escola e etc.
Os monstros podem ter o nome que bem entender: João, José,Jesus, Maria, Milena, Renata, Alexandre Nardoni e cada um no seu estilo, alguns são provocantes, outros compulsivos, ciumentos vestindo saia curta, salto-alto ou terno e gravata.
Um estudioso pesquisou a vida dos monstros e descobriu várias éspecies do mesmo, e nos indicou 3 curiosas dessas todas já descobertas.
O primeiro é o monstro imaginário que mora em baixo da nossa cama quando somos crianças e cisma puxar nossos pés enquanto durmimos.
O segundo são os da ficção cientifica, super produzidos ecriados pra causar espanto ao publico cinéfilo, monstros tais como:Predador, Alien,Clovie, A mosca, Godzila, Kin Kong, Hannibal Lecter e etc.
E o terceiro é o monstro social que se alimenta da ganância, da vaidade, de bens materiais que degradam com o tempo, com o ciume, com a dor de cotovelo,por não ter compreensão alheia e nem saber se por no lugar dos outros.
Esta aberta a temporada de caça aos monstros.